Início > Projecto R

Projecto R

Como definir este projecto? Como construir este arquivo? Como pode ser feito o arquivo de uma realidade que está viva e em permanente actualização? Estas são algumas das questões iniciais do Projecto R e que agora resultam nesta plataforma em linha que disponibilizará, de forma gratuita, conteúdos relativos às repúblicas de estudantes.

Embora se pretenda que o arquivo seja um repositório exaustivo e ordenado de toda a informação existente relativa à história destas instituições, temos a noção de que ele estará sempre incompleto. Desde logo, porque a história das Repúblicas continua a construir-se diariamente mas incompleto também porque não é possível "arquivar" a imaterialidade de muitas das experiências do viver em República.

Apesar das impossibilidades acima descritas, resolvemos assumir, ainda assim, a tarefa. A história das repúblicas continua por fazer, a informação que existe encontra-se dispersa por um conjunto de suportes que falta coligir e reunir, e que são, na maior parte das vezes (com excepção talvez do tema das lutas estudantis) pouco conhecidos, e é assim imperativo criar um repositório digital que, baseado numa catalogação aprofundada de fontes, consiga trazer a público (investigadores, historiadores, antigos repúblicos, curiosos e público em geral) documentos que permitam testemunhar, preservar e transmitir essa história. Interessa assim trazer para este projecto todo o tipo de documentação relativa às repúblicas (fontes primárias sobre a existência e vivência em repúblicas, fotografias, recortes de jornal, decretus das casas, documentos de arquivo, filmes, etc). O local privilegiado para essa recolha será, num primeiro momento, o arquivo das próprias repúblicas, que podemos encontrar em diferentes estados de conservação mas que não se encontram pesquisáveis pelo público em geral. Importa pois, desde logo proceder à digitalização desses acervos garantindo assim a existência, caso algo aconteça aos arquivos físicos, de uma "cópia digital".

Em suma, trata-se aqui de construir um espaço de encontro(s). Um encontro das casas com a sua própria história mas também com a história das Repúblicas, da cidade e Universidade de Coimbra, onde elas sempre existiram.

Que este seja um ponto de encontro de todas aquelas e de todos aqueles que se unem na defesa e na celebração destes espaços de liberdade e de solidariedade.

Sejam bem vindas e bem vindos a esta casa.